Projeto 10 Participação cívica em desastres

Construção de um modelo de participação cívica para a resposta a desastres de grande magnitude

CONTEXTO 

Perante um desastre de grande magnitude, os cidadãos contam agora com ferramentas tecnológicas que lhes permitem apoiar as organizações e entidades que respondem e atuam em situação de emergência. Desde o terramoto de 2010 no Haiti e no Chile, o do Japão, a crise na Líbia, as inundações na Colômbia, a crise do vírus Ébola, o terramoto no Nepal e, mais recentemente, o terramoto no Equador, que os voluntários digitais têm marcado a diferença, de forma muito significativa, na hora de providenciar ajuda às comunidades afetadas.

Durante o terramoto que afetou o Equador há uns meses atrás, alguns cidadãos equatorianos iniciaram o projeto “Ayuda Ecuador”. Durante as primeiras horas dessa iniciativa, já contavam com o apoio de cidadãos de diferentes continentes, os quais tinham enfrentado anteriormente situações similares. Desde o Quénia, Nepal, Chile, Haiti, Canadá, França, Colômbia, entre muitos outros países, os cidadãos digitais usavam a tecnologia para colocar o seu conhecimento ao serviço das populações afetadas. Dentro das iniciativas que apoiam o projeto estavam a Ushahidi, a StandByTaskForce, a Digital Humanitarian Network, a OpenStreetMap y e a Humanitarian OpenStreetMap Team HOT.

Após seis anos, muitas organizações existem sob a mesma permissa, contudo existem ainda um vazio. Não há ainda um “Kit de Ferramentas” que englobe toda a informação necessária para explicar aos cidadãos comuns, aos meios de comunicação e a todos os responsáveis pela gestão de risco e ajuda humanitária como atuar em sitiações de desastre.


O QUÊ? 

Para este evento, o projeto irá desenvolver um “Kit de Ferramentas” composto por um conjunto de diretrizes, conteúdo multimédia e outro tipo de ferramentas tecnológicas, cujo principal objetivo é ajudar não só aqueles cidadãos que se querem voluntariar neste tipo de situações, mas também os meios de comunicação em como produzir notícias que façam a diferença e às agências de ajuda humanitária e governos em como tornar estes esforços em resultados positivos no terreno, úteis para melhorar os processos de decisão, monitorização e desenvolvimento.

O conjunto diretrizes irá incluir:

  1. Uma guia para resposta em situação de emergência
  2. Uma guia para coordenação em situação de desastre
  3. Uma guia técnica
  4. Uma guia para gestão de voluntários
  5. Uma guia para os meios de comunicação
  6. Uma guia para os governos e autoridades públicas
  7. Outras guias

QUANDO? 

Durante o LabicCO na Colômbia, de 9 a 23 de outubro de 2016. Uma equipa de 10 elementos trabalhará arduamente para desenvolver o kit de ferramentas, juntamente como uma Equipa Virtual de Apoio (EVA).


PARA QUEM? 

Essencialmente para quem habita em países vulneráveis a desastres de grande magnitude, nomeadamente desastres naturais relacionados com as alterações climáticas, dos quais destacamos as tempestades, os terramotos, os tsunamis, as secas e possíveis incêndios. De salientar também os desastres de origem humana, como migrações forçadas, acidentes industriais ou situações de conflitos.


COMO? 

Online 

As diretrizes estarão disponíveis numa página web, com opção para descarregar e serão constituídas por textos orientadores, guias de processos passo a passo e material multimédia e de apoio. Para além das diretrizes gerais , também estará disponível informação para meios de comunicação, no sentido de lhes explicar que os produtos que criam para informar, também pode ser convertido em material operativo para salvar vidas. Finalmente um guia para governos e organismos internacionais, onde se explica o alcance da iniciativa, as formas de interação e os valores agregados destas iniciativas à gestão de emergências, como para a reconstrução e fortalecimento das capacidades de uma comunidade na preparação de futuras emergências.

In loco 

As guias serão utilizadas durante simulacros de emergência em vários países, com o objetivo de identificar as suas forças e também alguns aspetos a melhorar.

Todo o material produzido deverá ter uma licença aberta “Creative Commons” que permita a sua reprodução, adaptação e difusão em diversos contextos.


PORQUÊ? 

Porque existe a necessidade de envolver a comunidade num processo cívico de resposta a desastres de grande magnitude, onde mais do que informados, os cidadãos se sintam devidamente “equipados” com ferramentas de apoio à sua participação ativa não enquanto vítimas, mas enquanto membros ativos de uma comunidade em risco. Para além da população geral, existe ainda uma lacuna de comunicação entre os diferentes intervenientes numa emergência, como agências, ONGs, governos, meios de comunicação, e a comunidade, não só local, mas internacional, através dos seus voluntários.

 


Resumo biográfico :

  1. “Tecnología ciudadana frente al drama del terremoto en Ecuador” en http://www.elespanol.com/ciencia/tecnologia/20160420/118738257_0.html
  2. “Mapeo de zonas afectadas avanza” http://www.eltiempo.com.ec/noticias-cuenca/181925-mapeo-de-zonas-afectadas-avanza/
  3. Humanitarian OpenStreetMap Team (HOT) https://hotosm.org/
  4. Digital Humanitarian Network (DHN) http://digitalhumanitarians.com/
  5. “How Crisis Mapping Saved Lives in Haiti” http://voices.nationalgeographic.com/2012/07/02/crisis-mapping-haiti/
  6. “Estimating Disaster Impact with contextual Pre and Post Disaster Datasets” http://blog.veritythink.com/post/104948097769/estimating-disaster-impact-with-contextual-pre-and
  7. “The [unexpected] Impact of the Libya Crisis Map and the Standby Volunteer Task Force” https://www.ushahidi.com/blog/2012/01/09/the-unexpected-impact-of-the-libya-crisis-map-and-the-standby-volunteer-task-force
  8. “Using the New Ushahidi Platform to Crisis Map Libya” https://www.ushahidi.com/blog/2011/03/06/using-the-new-ushahidi-platform-to-crisis-map-libya
  9. Digital Humanitarians http://www.digital-humanitarians.com/
  10. Ushahidi https://es.wikipedia.org/wiki/Ushahidi
  11. Inundaciones Informe de situación No. 32 http://reliefweb.int/sites/reliefweb.int/files/resources/Informe_completo_53.pdf
  12. El papel de la ONU más allá de las noticias http://blog.es.idealist.org/tag/ushahidi/